Adhonep  |  Bíblia On-line  |  Profissionais Evangélicos

 
 Busca: Em: |Fale Conosco| [Administração do site] Início

 MSEvangélico, 24/04/2014 - Um Site a Serviço do Reino de Deus      

Vem aí o 4° Congresso de Adoração e Palavra Profética em Aquidauana dias 08 e 09 de Maio!!!

 

MENU PRINCIPAL

A justiça guarda ao que é reto no seu caminho; mas a perversidade transtorna o pecador.
(Pv.13:6)

SERVIÇOS

 Agenda
 Classificados
 Galeria de fotos
 Igrejas
 Notícias
 Profissionais

PASTORAL

 Estudo Bíblico
 Devocional
 Artigos

INTERATIVIDADE

 Show da Bíblia
 Mural
 Mande Notícias
 Pedido de oração
 Pergunte ao pastor
 Fale conosco
 
 Enquete
 

 

Ano que vem, vamos ter eleições. Você está apto para votar (tirou o título, votou, transferiu, justificou)?

 

Sim

Não

Não participo de eleições

Indiferente

 

 

 

 Estudos Bíblicos

 

Aceitando seus defeitos e qualidades


Porque as mulheres devem aceitar-se

A pessoa somente consegue estar em paz consigo mesma, quando está contente com aquilo que tem e é. Somos pessoas com defeitos e qualidades, não há ninguém perfeito neste mundo, mas precisamos estar cientes de nossas qualidades e defeitos, nos aceitarmos como somos, para que possamos trabalhar nossas potencialidades e dificuldades, nos tornando cada vez melhores na presença do Senhor.

Deus demonstrou um amor imenso pela sua criação, veja: “Pois, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu há seu tempo pelos ímpios (Rm 5.6)”.

Uma mulher torna-se filha do Rei através do novo nascimento, ao aceitar Jesus Cristo como seu único salvador, tendo seu velho eu crucificado, tornando-se nova criatura: “Sabendo isto, que o nosso homem velho foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado fosse desfeito, a fim de não servirmos mais ao pecado. Pois quem está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos (Rm 6.6-8)”.

Veja o que Paulo diz sobre isso: “Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não é prático; mas o que aborreço, isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. Agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum. Com efeito, o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo (Rm 7.15-21)”.

A nova filha do Rei tem agora duas residências, uma no céu e outra na Terra. Antes de aceitar a Cristo ela não tinha escolha, deveria vestir o melhor possível o seu velho eu, com as roupas que o mundo ditava, tornando-se o mais apresentável possível.

Algumas mulheres vivem dizendo “se eu fosse mais alta, mais magra, mais rica”, etc, mas isso tudo são atributos exteriores. Antes de preocupar-se com o mundo exterior deveria ver o que ela tem de melhor para oferecer a Deus e ao seu próximo, parando de buscar no outro a razão de sua infelicidade, ou do mundo externo a alegria do seu viver, pois com certeza não estará lá, somos seres únicos para Deus.

“Pois, se alguém pensa ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo. Mas prove cada um a sua própria obra, e então terá motivo de glória somente em si mesmo, e não em outrem; porque cada qual levará o seu próprio fardo. (...) Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. (Gl 6.3-5,7)”.

A própria Bíblia é bem clara em dizer que somos os responsáveis por aquilo que nos acontece, nisso está incluído o livre arbítrio que Deus nos deu, então não adianta culpar os outros ou mesmo o inimigo por aquilo que nos acontece. Não que eu queria levar para uma teoria Deísta, onde Deus tenha criado as regras e apenas esteja regendo o universo, mas a Bíblia fala para não darmos lugar ao inimigo (Ef 4.27) e que aquele que é de Deus o maligno não o toca (Sl 91).

Então não adianta culpar os outros pelos nossos fracassos ou derrotas, devemos descobrir as falhas em nós mesmos a fim de nos tornarmos seres humanos melhores a cada dia: “Não julgueis, para que não sejais julgados (Mt 7.1)” “Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice (I Co 11.28).”

Deus deu a cada ser humano um dom, que devemos utilizá-lo para descobrir a nossa missão, a nossa vocação e chamado. Esta deve ser a característica da serva do Senhor, não ficar se comparando aos demais: “pois não ousamos contar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes, medindo-se consigo mesmos e comparando-se consigo mesmos, estão sem entendimento (II Co 10.12)”.

Devemos ser imitadoras de Cristo, andando nos ensinamentos que Ele nos deixou: “Sede pois imitadores de Deus, como filhos amados (Ef 5.1)”. Pois a maior necessidade da mulher de Deus, deve estar na máxima proximidade de um relacionamento vital com o Senhor.

“Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai! O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus (Rm 8.15-16)”

Deus vê de outra forma a partir do novo nascimento: “A filha do rei está esplendente lá dentro do palácio; as suas vestes são entretecidas de ouro. Em vestidos de cores brilhantes será conduzida ao rei; as virgens, suas companheiras que a seguem, serão trazidas à tua presença. Com alegria e regozijo serão trazidas; elas entrarão no palácio do rei (Sl 45.13-15)”.

Então mesmo que você não seja tão alta quanto gostaria, tão magra quanto deseja, não tenha o nariz ou a cor dos olhos da forma ou cor que sonha, você é muito especial para Deus, foi Ele que te criou para ser exatamente desta forma. E este Pai bondoso ainda nos deu o mesmo livre arbítrio, para que focalizando a si mesma através do seu Evangelho, possa enxergar a si mesma, perdoar os erros que cometeu contra si própria, aceitando as coisas que não pode mudar e melhorando aquilo que pode.

Acima de tudo, renunciando a qualquer crença sobre si mesma que não esteja de acordo com as Sagradas Escrituras, ciente de que é protagonista de seu futuro, através do seu presente, sendo auxiliada por um Deus que tudo pode.

Pois enquanto não reconhecer a sua nova identidade como Cristã, fatalmente ainda estará sujeita ao seu velho eu pecaminoso e imaturo, estando sujeita as modas e determinações deste mundo. Enquanto que tendo seu velho eu sobre controle, não necessitará que outras pessoas lhe digam o que você é, lhe dêem aprovação ou aceitação, alem de obter uma consciência de sua verdadeira integridade e identidade, estando sujeita a criticas destrutivas ou outras ameaças do inimigo para afastá-la de Deus, você permanecerá consciente de que é uma Serva do Senhor, com características únicas e o mal não te atingirá.

Que Deus possa revelar a ti o que mais colocou de especial em seu ser, dando-lhe forças para enfrentar qualquer situação, construindo um futuro cada vez melhor para você.

Em Cristo,

Adriana Fonte
Psicóloga / Aconselhamento Cristão
E-mail: adrianafonte@uol.com.br
 

 
 Publicidade

 


Desenvolvimento: DouraSites Informática (421-0658 / 9996-8222) dourasites@hotmail.com