Adhonep  |  Bíblia On-line  |  Profissionais Evangélicos

 
 Busca: Em: |Fale Conosco| [Administração do site] Início

 MSEvangélico, 21/12/2014 - Um Site a Serviço do Reino de Deus      

Vem aí o 4° Congresso de Adoração e Palavra Profética em Aquidauana dias 08 e 09 de Maio!!!

 

MENU PRINCIPAL

Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.
(Jo 11:25)

SERVIÇOS

 Agenda
 Classificados
 Galeria de fotos
 Igrejas
 Notícias
 Profissionais

PASTORAL

 Estudo Bíblico
 Devocional
 Artigos

INTERATIVIDADE

 Show da Bíblia
 Mural
 Mande Notícias
 Pedido de oração
 Pergunte ao pastor
 Fale conosco
 
 Enquete
 

 

Em quem você vai votar para presidente? Embora você tenha a opção de votar em branco ou nulo, sugiro que vote em um dos dois

 

Aécio

Dilma

Em branco

Nulo

 

 

 

 Estudos Bíblicos

 

Três benefícios que o exame das Escrituras traz


Leia primeira mente João 5:39 eMateus 22:29.

Introdução Este artigo é, na verdade, uma lição de Escola Bíblica Dominical que eu escrevi para completar o quadrimestre, visto que a revista que usamos veio faltando uma lição. Na ocasião estávamos estudando uma revista intitulada “EXAMINAI AS ESCRITURAS”, da Editora Cristã Evangélica, cuja sede fica na cidade de São José dos Campos, SP. Procurei seguir os critérios usados nas lições de EBD, tais como: 1) Texto básico; Texto devocional; Texto para reflexão; E textos sugeridos para leituras diárias conforme você pode ver após a conclusão desta matéria.

Toda pessoa que faz alguma coisa na vida tem algumas regras a cumprir. Essas regras por sua vez, estão escritas em algum livro, enciclopédia ou tratado, que servem como manual para que as pessoas possam se dirigir por elas.

Na vida cristã não é diferente. Deus nos deixou o Seu livro, a Bíblia, para servir de manual.

O apóstolo Paulo foi muito categórico quando escreveu as seguintes palavras em 2Timóteo 2.15. “Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. Ele tinha tanta convicção de que a Bíblia é um manual para o crente, que faz outras afirmações em 2Timóteo 3.16. “Toda a Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça”. Estes dois textos bastam para concluirmos que a Bíblia é o manual do crente.

Não devemos abdicar dos ensinos da Bíblia, visto que ela tem várias funções no que se refere à instrução em nossas vidas. Há muitos benefícios que o exame da Bíblia nos traz, dos quais passamos a apresentar três, conforme o título acima.

I - O EXAME DA BÍBLIA NOS MOSTRA O CAMINHO DA VIDA ETERNA

Vejamos o que Jesus afirmou no texto básico acima mencionado: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna...”. Jesus está fazendo uma afirmação de que eles estavam quase certos em examinar as Escrituras. Por que eu digo que eles estavam quase certos? Porque eles examinavam as Escrituras só com uma finalidade, que era a de saber sobre a vida eterna. Entretanto, lhes faltava a razão mais importante neste caso, que era descobrir nas Escrituras o que elas falavam sobre Jesus. Certamente o povo havia aprendido que através das Escrituras eles sabiam o plano de Deus quanto à vida eterna. Sobre isso Jesus faz duas declarações que são fundamentais ao estudioso das Escrituras: a) João 14.6. Aqui Jesus fala que ele é de suma importância na vida do cristão como “o caminho, a verdade e a vida". Ao examinarmos esta passagem, descobrimos que Deus tem um plano triplo para nossas vidas através de Jesus: 1) Jesus, o caminho a ser seguido; 2) Jesus, a verdade na qual devemos crer; 3) Jesus, a vida que faz sentido em nós e para nós. Veja, depois que Jesus se declara ser estas três coisas importantes, Ele diz: “... ninguém vem ao Pai, senão por mim”. Jesus acaba de se declarar o elo entre Deus e o pecador, a fim de conduzi-lo à vida eterna. Basta aceitá-lo como o caminho a verdade e a vida. É importante ver em que tempo e modo este verbo “vem” está sendo conjugado por Jesus. Ele está no presente do indicativo. Ale disso, o verbo da a Jesus a conotação de ele é o próprio Deus, “ninguém vem ao Pai, senão por mim”. b) João 17.3. Jesus faz outra declaração sobre a vida eterna. Aqui ele deixa claro que, para ter a vida eterna é preciso conhecer o Pai e o Filho; que ambos são concordes sobre a vida eterna; e que para termos a vida eterna precisamos investir tempo no conhecimento do Pai e do Filho. Conhecimento implica em relacionamento. Ou seja, a vida eterna é o resultado de um relacionamento (conhecimento) do ser humano com Pai e o Filho. Podemos afirmar que essa declaração de Jesus mostra-nos a afinidade entre o Pai e o Filho, e que ambos estão interessados em dar a vida eterna a todos que investirem tempo no exame das Escrituras, a fim encontrá-la. c) I João 5.20. O apóstolo João está afirmando algo sobre a vida eterna: 1. João diz que o Filho de Deus já veio e nos deu entendimento sobre o que é verdadeiro. Então, temos que recordar o que o próprio Jesus disse: “... eu sou a verdade...”. 2. Outra expressão de João que merece atenção é: “... Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna”. Se juntarmos esta afirmação, mais a de Jesus em João 17.3, quando ele diz que a vida eterna é conhecer o Pai como único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo a quem o Pai enviou, temos as peças do quebra-cabeça sobre a vida eterna se encaixando perfeitamente. Ou Seja, Jesus é a vida eterna em pessoa, manifestada à humanidade. 3. I João 5.11-13. Temos aqui um texto muito importante na teologia sobre a vida eterna. 3.1. As Escrituras testemunham que Deus nos deu a vida eterna. Este testemunho se intensifica ainda mais, quando João diz: “... e esta vida está em Seu Filho” (v.11). 3.2. No verso 12 João enfatiza a necessidade de as pessoas terem o Filho para terem a vida eterna. E que, sem Jesus a pessoa não tem a vida eterna. 3.3. Ao examinarmos os versos 12 e 13, chegaremos à conclusão de que podemos ter certeza da vida eterna. Mas que isso só será possível se a pessoa crer definitivamente no nome do Senhor Jesus Cristo. O crer aqui implica em dar unicamente a Jesus a condição de Salvador e Senhor de nossas vidas. Quero ressaltar que, isso só será possível, quando examinamos as Escrituras com olhos espirituais. Aí, sim, a vida que encontramos nelas, é a vida eterna.

II - O EXAME DA BÍBLIA NOS MOSTRA QUE ELA TESTIFICA DE JESUS.

Vamos verificar alguns textos que mostram como a Bíblia testifica de Jesus: A) Nosso ponto de partida neste caso é a afirmação do próprio Jesus. Ele mesmo disse: “... e são elas (as Escrituras) que de mim testificam" (João 5.39b). B) Quando analisamos esta afirmação, necessário se faz, examinarmos as Escrituras sobre o que elas testificam de Jesus. a) Isaías 7.14. Aqui há uma profecia de que Jesus ia nascer de uma virgem, o que é corroborado com Mateus 1.23. Maria disse ao anjo que lhe anunciou o nascimento de seu filho, que isso não seria possível porque ela nunca havia tido nenhum envolvimento com um homem, que pudesse lhe resultar em um filho. Leia estas palavras de Maria em Lucas 1.31-35. Foi assim, Jesus nasceu da virgem, conforme a profecia de Isaías, e anunciado pelo anjo. b) Isaías 9.6. Este texto mostra as características espirituais de Jesus. A profecia já traçava de antemão o perfil de Jesus. Ele teria o governo sobre seus ombros; Seu nome ia ser: maravilhoso conselheiro, Deus forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. O Senhor Jesus foi, é e será tudo isso (hb 13.8). c) Miquéias 5.2. Neste texto há uma profecia de Miquéias afirmando até a cidade em que Jesus ia nascer, Belém. Esse mesmo texto tem outras afirmações sobre Jesus: 1) Ele seria Senhor em Israel; 2) Que as saídas dEle são desde os tempos antigos; 3) Que Jesus é desde a eternidade. Que fascinante estudar sobre Jesus, não é mesmo? O que mais me intriga com as pessoas que examinavam as Escrituras nos dias de Jesus, é que tudo isso já estava nas Escrituras, elas as examinavam, mas não aceitaram que Jesus fosse o Messias. Ao contrário, chamaram-no de embusteiro, disseram que ele tinha demônio, e que expulsava os demônios por belzebu. Quando leio isso na Bíblia, fico a pensar o seguinte: eles examinavam as Escrituras só por curiosidade; talvez quisessem se orgulhar por serem “grandes” examinadores das Escrituras; mas estavam longe de alcançar alguma bênção apenas com esses sentimentos. Pois Jesus afirma que eles examinavam as Escrituras, mas não queriam ir a Ele para terem vida (João 5.40). Essa era uma atitude no mínimo estranha. Seria como um advogado que examinasse os livros de códigos e leis, mas não quisesse agir conforme os mesmos. É como o médico que, no exercício da medicina, seja relaxado para com os princípios dela. Não é de se estranhar, que ainda hoje há pessoas que examinam a Bíblia, mas só aplicam aquilo lhes convém. Li recentemente no Jornal Batista um artigo que traz uma informação sobre um pastor luterano que não crê em Deus, na ressurreição, e ainda diz que isso é uma “fé infantil dos cristãos” (O Jornal Batista de 29/06/03). O mesmo Jornal afirma que ele foi deposto de sua função depois de 25 anos de ministério. Que incoerência deste que se intitulou pastor por todos esses anos! d) Gênesis 3.15. Aqui encontramos a primeira promessa sobre a pessoa de Jesus. Que Ele viria da semente da mulher, esmagaria a cabeça da serpente, e que seria ferido no calcanhar. Muito bem. Esmagar a cabeça da serpente significa a derrota de satanás, que aconteceria com a morte de Jesus na cruz, finalmente ressuscitaria para deixar satanás definitivamente envergonhado, esperando seu julgamento que o levará ao lago de fogo e enxofre (Ap 20.10). Ferir o calcanhar significa que satanás não daria sossego a Jesus, até que visse seus intentos consumados. O maior objetivo dele era dissuadir Jesus de ir à Cruz. Como isso não aconteceu, satanás ficou extremamente frustrado e estará para sempre frustrado, pois Jesus morreu, ressuscitou e está vivo, intercedendo por nós à destra do Pai (Rm 8.34). Glória a Deus! Em 1João 3.8, está escrito que Jesus se manifestou para desfazer as obras do diabo. O que é isso? Não é outra coisa senão desfazer o pecado através de Sua morte, a fim resgatar o pecador da maldição do pecado, e este é a obra de satanás que Jesus veio para desfazer. e) Apocalipse 13.8. Veja que esta passagem nos dá uma idéia sobre o plano de Deus através de Jesus em relação à humanidade. Temos aqui a afirmação de que a morte de Jesus faz parte do plano de Deus para o pecador desde a fundação do mundo. Concluímos que Jesus não é uma espécie de tapa-buraco. Deus, em Sua Onisciência e Presciência, já sabia que o homem ia pecar, e já planejou o sacrifício de seu Filho para resgate do mesmo, que se tornaria pecador com sua desobediência. Esse sacrifício já está consumado desde a fundação do mundo. Isso é puramente misericórdia do Deus de amor incomparável. Tudo isso só se sabe através do exame das Escrituras. Vale a pena examiná-las com olhos espirituais.

III – O EXAME DA BÍBLIA NOS LIVRA DE VIVER NO ERRO

(Mt 22.29; Oséias 4:6). A. Em Mt 22.29, Jesus faz duas Afirmações contundentes: a)"Errais não conhecendo as Escritura e nem o poder de Deu”. b) Lendo o texto vemos que ele estava dizendo também: “[errais]” não conhecendo o poder de Deus. O que podemos deduzir daqui? Que se examinarmos as Escrituras, com a finalidade de aprender e praticar os ensinos delas, conseqüentemente, evitamos o erro. E isso nos permitirá usufruir o poder de Deus. Veja que o texto nos mostra que qualquer pessoa pode ter acesso às Escrituras, e que examiná-las é dever de todos. As finalidades de examinar as Escrituras devem ser, para conhecer mais sobre Deus e Seu poder, para que não vivamos no erro. c) O segundo texto, o de Oséias 4.6, tem algumas observações a serem feitas: 1) “O meu povo foi destruído porque lhe faltou conhecimento...""”. Esta expressão é de certa forma uma lamentação; 2) “... porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei; 3) “... visto que te esqueceste do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos”. O conhecimento teria evitado tal destruição, e não permitiria as demais coisas citadas neste versículo. Examine-o. Quando Jesus proferiu as palavras de Mt 22.29, Ele estava querendo dar uma oportunidade de crescimento espiritual aos seus ouvintes. Observe o que está escrito em II Pd 3.11-18. Esta passagem esclarece que as Escrituras são fonte de conhecimento e crescimento espiritual, desde que procuremos examiná-las com o propósito de nos beneficiarmos espiritualmente. Pedro faz uma advertência, dizendo que alguns “...torcem igualmente as Escrituras, para sua própria perdição” (v. 16). Já o v. 18 nos orienta a crescer na graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. Gostaria que o leitor raciocinasse comigo: Como podemos crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus, sem examinarmos as Escrituras, visto que são elas que testificam dEle? Assim como encontramos farta informação sobre história em um livro de história, também encontramos farta informação sobre Jesus nas Escrituras. Esta é uma tese lógica, e não tem como fugir da lógica. Se você negligencia o exame das Escrituras, está fadado ao caos espiritual. Primeiro porque você está enganando-se a si mesmo; Segundo porque você está perdendo de aprender mais sobre Deus e Seu poder; e Terceiro porque você pouco saberá sobre o que as Escrituras dizem sobre Jesus e a salvação que Ele veio nos dar. Há algo ainda mais danoso, quando se examina as Escrituras apenas por curiosidade, ou para fazer perguntas embaraçosas, justificando assim, que não se quer um compromisso sério com Deus e com Sua Palavra.

CONCLUSÃO: Gostaria que o leitor prestasse bastante atenção nos tópicos principais (I, II e III). Devemos examinar as Escrituras com as finalidades aqui expostas, fazendo do exame delas uma prática em nosso viver diário.

Quando examinarmos as Escrituras, devemos dar a Jesus toda honra em nossas vidas, descobrindo o valor do sacrifício dEle por nós.

A maior conclusão que tiro deste estudo, é que, sem o exame das Escrituras nós corremos sérios perigos no dia, dia. Corremos o perigo de ficarmos sem informação sobre a vontade Deus para nossas vidas, e o de nada sabermos sobre Jesus e Sua salvação consumada na cruz. O que é pior, corremos o perigo de não sabermos nada sobre a vida eterna. Esta falta de informações nos deixaria à mercê da própria sorte, o que seria, na verdade, uma catástrofe irreparável, visto que ficaríamos sem esperanças após a morte.

Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em Seu Filho, conforme vimos em textos importantes citados neste estudo (I João 5.11-20; João 17. 3).

Ao examinar as Escrituras, faça o que Tiago nos ordena em sua carta (Tg 1.21-25). Texto Básico: João 5.39; Mt 22.29 Texto Devocional: Lucas 8.1-15 Texto para reflexão: “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito”(João 15.7). LEITURAS DÁRIAS: segunda-feira, Salmo 119.89-96; terça-feira, Salmo 119.97-104; quarta-feira, Salmo 119.105-112; quinta-feira, Salmo 119.113-120, sexta-feira, 1Pedro 1.13-25; Sábado, 1Pedro 2.1-8; Domingo, João 5.39,40; João 17.17; Efésios 6.17. Obs: Eu preparei esta lição com muito carinho e total dependência do Espírito Santo, para que pudesse apresentar aos membros da igreja um conteúdo bíblico e prático, com o objetivo único de vê-los crescer espiritualmente. Que Deus abençoe cada irmão.

Pr. Lino da Silva Sobrinho, Pastor da Igreja Batista de Garça, SP

 
 Publicidade

 


Desenvolvimento: DouraSites Informática (421-0658 / 9996-8222) dourasites@hotmail.com